Língua Brasileira de Sinais – Libras

Você sabe o que é Libras?

A Lei nº 10.436 de 24 de abril de 2002, reconheceu como meio legal de comunicação e expressão a Língua Brasileira de Sinais – Libras, utilizada pela comunidade surda de nosso país, para se comunicar com pessoas surdas ou ouvintes.

A Libras é uma língua de modalidade gestual – visual que utiliza como meio de comunicação, movimentos gestuais e expressões faciais/ou corporais que são percebidas pela visão.

Ao contrário do que todos pensam, a Libras não é universal, ela se constitui em um sistema linguístico de transmissão de ideias e fatos, oriundos das comunidades de pessoas surdas do Brasil. (BRASIL, 2002).

Por ser uma língua ela possui gramática própria, sendo estruturada a partir de alguns parâmetros:

– Configuração de Mãos – são as formas que mãos ficam para a execução de um sinal. Estas podem ser da datilologia (alfabeto manual) ou outras formas realizadas pelas mãos predominantes (mão direita para os destros);

– Ponto de Articulação: é o lugar onde incide a mão predominante configurada, podendo esta tocar alguma parte do corpo ou estar em um espaço neutro vertical (do meio do corpo até à cabeça) e horizontal (à frente do emissor);

Movimentos: são os movimentos que as mãos fazem na execução de um sinal. Alguns sinais possuem movimento, outros não;

– Orientação/Direcionalidade: os sinais possuem uma direcionalidade com a palavra que se origina. Assim para executar os sinais de “subir “e “descer”, “abrir” e “fechar”, “acender” e “apagar” é necessário que as mãos se direcionem considerando a palavra que deverá ser sinalizada e

-Expressão Facial/Corporal – a expressão facial é a forma mais básica e comum de demonstrar as emoções. Fisiologistas estimaram que o rosto humano seria capaz de gerar cerca de 20.000 expressões diferentes. Juntamente com o olhar, a expressão facial é o meio mais rico e importante, para transparecer nossos estados de ânimo e emoções, ela é essencial para regular a interação e reforçar a nossa mensagem enviada junto ao receptor.

Todos os parâmetros citados acima, servem para reconhecer a Libras, enquanto uma língua real e efetiva, além de posicionar o surdo como membro de uma comunidade linguística diferenciada.

 

Quer saber mais sobre Libras?

O IMMES oferece uma apostila sobre Libras e que servirá como material para consulta pelos alunos, docentes, funcionários e toda a comunidade. Todo o conteúdo utilizado para preparar essa apostila foi retirado do livro: HONORA, M; FRIZANCO, M, L, E. Livro Ilustrado de Língua Brasileira de Sinais – Desvendando a comunicação usada pelas pessoas com surdez. São Paulo: Ciranda Cultural, 2009.

Para fazer o download da apostila, clique aqui.

 

REFERÊNCIAS:

BRASIL. Lei 10.436 de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras e dá outras providências.

QUADROS, R. M. de. Educação de Surdos: a aquisição da linguagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997

QUADROS, R. M.; KARNOPP, L. B. Língua de Sinais Brasileira: Estudos Linguísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004.