Como será o futuro da Administração pós-Covid?

Por conta da crise sanitária do Coronavírus, todas as estruturas socioeconômicas ficaram desestabilizadas. Muitos negócios tiveram que se transformar para adaptar-se ao tão falado novo normal. 

Mas, agora, é elencar o que essas transformações reservam para o futuro. Para administradores e empreendedores, ainda é um território novo e cheio de dúvidas e hipóteses sobre quais as medidas para se tomar e quais as prioridades das empresas nessa nova fase.

 

No que ficar de olho para o novo normal?

Com diversas reflexões, a pandemia trouxe um redesenho para o cenário econômico, com desafios para superar. Neste momento, é preciso criar estratégias e mecanismos para propiciar a construção de oportunidades significativas. Aplicar toda a expertise em metodologias para manter o controle da situação para sair da crise com baixos impactos.

Por isso, para os administradores, listamos algumas dicas importantes para continuar com o desenvolvimento dos negócios:

  • Criar um planejamento transitório, redefinindo objetivos e metas, para que todos os processos sejam otimizados durante este período;
  • Negociar com as instituições financeiras, fornecedores e outros, para estancar todos os passivos;
  • Atentar para oportunidades que podem aparecer durante a crise, voltando seu olhar para dentro do negócio;
  • Cuidado com empréstimos que podem comprometer o fluxo financeiro pós-crise.

 

Além disso, há 4 tendências digitais, segundo o estudo realizado pela Nuvemshop, uma das maiores plataformas de e-commerce do país. São transformações importantes para as quais as empresas precisam estar preparadas para o novo normal.

 

1) Acelerar o processo de migração para o digital

É a hora de investir no site que, há tempos, se cogita em fazer. A busca por plataformas de e-commerce cresceu 64% desde o início da pandemia e o número de criação de novas lojas virtuais teve um aumento de 190% se comparado com o ano anterior. Entrar nessa estatística é altamente necessário para que seu negócio não fique para trás.

 

2) O consumidor mudou de comportamento

Isso quer dizer que houve um aumento de 142% de compras online no segundo trimestre de 2020 se comparado ao primeiro trimestre do ano. E, de acordo com o estudo da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo, 70% das pessoas pretendem continuar com o hábito de compras online pós-pandemia.

 

3) Crie um estratégia omnichannel

Ou seja, mescle ações online com as offline. Atenda seu público de forma híbrida. Isso cria uma experiência positiva, confortável e prática para seu consumidor, por conta da flexibilidade em sua jornada de compra.

 

4) Fique de olho nas tendências

O isolamento social fez e está fazendo muitas empresas repensarem sobre suas culturas. Antes, muitos lugares que trabalhavam em contato direto com o consumidor precisaram repensar as estratégias e fortalecer o vínculo online. Empresas grandes da nossa economia estão optando pelo home office híbrido ou até mesmo definitivo.

Lojas virtuais tendem a continuar o crescimento exponencial, sendo o principal canal de vendas para muitos setores. Além disso, a cibersegurança está cada vez mais forte. Com a vigência da LGPD, Lei Geral de Proteção de Dados, é preciso estar alinhado com a regulamentação para não colocar o futuro da empresa em risco.

Por fim, é fato que a crise atual impulsionou negócios para a inovação com a tecnologia ao lado da gestão. Estar informado das tendências e tentar se adaptar a esse período é um diferencial para passar com segurança e usar as adversidades a seu favor.

 

WhatsApp chat